voltar para outros artigos

A arte e a qualidade de vida

Bem-estar & Saúde 1 de agosto de 2016

Em seu poema “Traduzir-se”, o genial poeta Ferreira Gullar questiona se a arte não é a própria manifestação do ato de viver. Vale recordar os seus versos:

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.
Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.
Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.
Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.
Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.
Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.
Traduzir-se uma parte
na outra parte
– que é uma questão
de vida ou morte –
será arte?

O premiado artista plástico José Roberto Aguilar, em entrevista à Folha de S. Paulo, defendeu que a arte “faz bem ao corpo e ao espírito, ao rim e ao fígado. O baço adora arte. Quando vemos arte, o coração bate mais compassado, e nossos artelhos ficam lépidos e dançantes. Nossa aura adquire uma cor azulada, e os chacras superiores emitem mais vibrações (…)”.

Na opinião de artistas consagrados, a arte não é apenas uma atividade destinada à manifestação do gênio de pessoas dotadas de dons e talentos especiais, mas, sim, uma necessidade de todos. A qualidade de vida melhora quando essa carência é atendida.

Para a arte-educadora, Heloise Pedralva, o entendimento das pessoas sobre o mundo fica incompleto quando há ausência de arte, pois somente por meio dela é “possível reunir todas as dimensões humanas – a emotiva, a racional, a mística, a corporal”.

Além da Arte-Educação, a Arteterapia vem sendo utilizada para facilitar a solução de conflitos internos e para o desenvolvimento da personalidade de crianças, adultos e idosos.

Ao ler um livro, escrever um poema, visitar uma galeria de arte, desenhar, bordar, cantar para os amigos, escolher o ângulo para registrar uma imagem, ouvir uma boa música ou tocar um instrumento manifesta-se a própria essência da pessoa.

As oportunidades para colocar arte no dia a dia são muitas. Existem instituições públicas e privadas disponibilizando acesso a exposições, shows e concertos gratuitos. E, até mesmo, estimulando o exercício da capacidade criativa, um exemplo é o Projeto Contador de Histórias, oportunidade para exercitar e compartilhar talento e experiências vividas. Então, não perca tempo, aproveite para fazer agora mesmo uma visita ao site www.contadordehistorias.net e começar a criar.