voltar para outros artigos

Como cuidar da memória

Bem-estar & Saúde 2 de setembro de 2016

Na vida corrida de hoje em dia, na qual as pessoas são bombardeadas por um volume extraordinário de informações torna-se cada vez mais comum ouvir reclamações sobre falhas de memória. Em certos casos, isso pode ser um alerta para possíveis problemas graves e exige atenção profissional especializada, porém, na maioria das vezes, o esquecimento pode ter explicações bem mais simples.

O neurocirurgião, Roberto Godoy, em entrevista ao Dr. Dráuzio Varella, explicou que “o esquecimento é uma falha na retenção ou na evocação dos dados da memória. Trata-se de fenômeno muito comum que, em maior ou menor grau, ocorre com qualquer pessoa”. Segundo ele, as causas podem ser diversas: debilitação do processo de memória pelo passar dos anos; aquisição de novas informações interferindo no conteúdo armazenado, ou, até mesmo, o desuso de dados e informações acumuladas ao longo do tempo.

O especialista destaca que nenhuma “dessas causas explica totalmente a ocorrência do esquecimento”, porém, um aspecto deve ser bem observado: para reter determinada informação na memória é preciso que a atenção esteja totalmente dedicada na hora de fazer o registro.

Como temos um volume cada vez maior de informações divulgadas por inúmeros meios e modos de comunicação, a concentração está sendo prejudicada e, por consequência, existe uma quantidade crescente de falhas de memória.

O neurologista, Leandro Teles, preparou uma lista com dicas para melhorar a capacidade de retenção da memória:

1) Ambiente adequado

É muito importante trabalhar e estudar em ambientes apropriados. Silenciosos, iluminados e organizados. Assim o estímulo que interessa se destaca e a memorização é facilitada.

2) Fazer uma coisa de cada vez

Esse é o principal erro. Fazemos várias coisas ao mesmo tempo. Pensamos em diversos problemas e deixamos passar os dados que seriam relevantes. Identifique as prioridades do momento, entre para resolver aquele problema, se desligue do resto. Seguindo essa recomendação você logo perceberá que os episódios de esquecimentos serão cada vez mais raros.

3) Estar descansado

O bom funcionamento cerebral depende de descanso. Dormir ao menos 8 horas ininterruptas de sono por noite, com qualidade. Tirar férias de tempos em tempos, praticar atividades de lazer. Sem isso, o cansaço cerebral levará aos lapsos de memória.

4) Alimentação

A alimentação influencia na capacidade de memorização. Prefira alimentos de fácil digestão, fracionados durante o dia e em quantidade moderada. Refeição pesada e quantidade exagerada desloca o fluxo sanguíneo para os intestinos e o cérebro fica mais lento e preguiçoso. Para ajudar ainda mais, beba bastante água.

5) Evitar medicamentos para dormir

Muitos remédios para dormir são usados indiscriminadamente. Alguns deles podem afetar um pouco a capacidade de memorização. Use-os com bom senso e sempre com orientação médica.

6) Tratar depressão e ansiedade

Muito importante. A depressão lentifica os processos cerebrais, o esquecimento pode ser um sintoma da depressão. A mesma coisa ocorre com a ansiedade. A pessoa muito ansiosa está sempre com uma pressão antecipatória, sofre antes da hora, preocupa-se antecipadamente e se esquece de viver o momento. A ansiedade leva diretamente a problemas de atenção e concentração.

7) Exercitar o cérebro

Saia da zona de conforto. Coloque seu cérebro para realizar coisas novas. Faça coisas rotineiras de um jeito diferente, mude os caminhos, a mão que você come e escova os dentes, troque o mouse de lado. Aprenda outra língua, a tocar instrumento, um novo esporte… enfim, seja criativo e exercite seu cérebro como se ele fosse um músculo. Um cérebro treinado é muito mais confiável.

8) Evitar álcool e o cigarro

O álcool é um inimigo da memória. Você passa do ponto e já não fixa nada. A longo prazo o álcool pode levar à atrofia cerebral (redução do tamanho do cérebro) e a quadros graves de esquecimentos. O tabagismo é também um vilão, favorece isquemias cerebrais, mesmo que pequenas e imperceptíveis que com o passar dos anos pode acarretar problemas cognitivos.

9) Inventar regras mnemônicas

É uma técnica milenar usada por muitos estudantes para decorar informações escolares de maior complexidade, como a tabela periódica, formulas de física, datas históricas, etc. Associamos uma informação difícil de ser memorizada a algo de maior facilidade, que tenha mais a ver com a gente, seja mais familiar. Uma boa regra mnemônica pode carregar uma informação por uma vida inteira. Essas regrinhas podem ser usadas com todo o tipo de informação, durante o dia a dia, facilitando o processo de evocação.

10) Se expor e reviver boas lembranças

Memórias ligadas a emoção são mais facilmente fixadas. As emoções positivas têm prioridade sobre emoções negativas. Um fenômeno conhecido como memória seletiva. Viaje, encontre os amigos, reúna a família, viva com intensidade e otimismo, suas memórias serão mais vivas e resistentes. Recorde sempre das boas coisas que viveu, reveja álbuns de fotografia, vídeos antigos e remonte os momentos na cabeça. Quanto mais vezes algo é lembrado, mais firme fica a lembrança. Com o tempo seu cérebro se empenhará cada vez mais em reter as experiências de vida.

É importante observar: sempre que a dificuldade de memória ocorrer em pessoas de mais idade ou em intensidade e frequência suficientes para atrapalhar as atividades diárias, um médico neurologista deve ser consultado.




  1. Gercino Ferreira de Santana disse:

    É interessante que, muitas vezes, coisas simples que agente poderia fazer e, por descuido, a gente não faz, prejudicando e bem estar que todos merecemos.
    Agradeço as informações dadas. São de grande valor.

    • Celeste Arrais disse:

      Olá Gercino,

      É verdade, coisas simples estimulam nossa memória, por isso é sempre bom fazer algo diferente e aprender coisas novas, pois assim, estamos colocando o cérebro em funcionamento e garantindo mais qualidade de vida.

      Caso tenha alguma sugestão de assunto, conta pra nós que falaremos a respeito.

      Abraços e um 2017 genial, cheio de alegria e amor.

      Celeste Arrais

  2. Gercino Ferreira de Santana disse:

    Gosto muito desta revista. As suas informações são geniais. Ajuda a gente a viver.

  3. JOSÉ CARLOS BRUNO disse:

    FICO AGUARDANDO A REVISTA, E PROCURO LER TODAS AS MATERIAS , ATÉ AS QUE NADA TEM HAVER COM O MEU DIA A DIA, MAIS POR CURIOCIDADE, ALGUMAS ACHO INTERESSANTES OUTRAS NEM TANTO, MAS PROCURO ABSOLVER TUDO QUE ACRESCENTA EM MEU DIA A DIA.