voltar para outros artigos

Como se organizar financeiramente no ano que se inicia?

Minhas Finanças 10 de janeiro de 2018

Início de ano é sinônimo de dor de cabeça quando o assunto é organização financeira. Depois das festas de fim de ano, dos presentes comprados, das ceias em que investimos grande parte do nosso dinheiro, sempre surgem novas obrigações para se preocupar. Matrículas, materiais escolares, IPTU e IPVA são alguns exemplos que somados podem pesar no nosso bolso.

O site blog.guiabolso.com.br preparou algumas dicas para ajudar a se organizar financeiramente nesse assunto tão importante:

 

1. Pesquise quais são os descontos nos pagamentos à vista

Você já sabe quais são as contas que vão lhe tomar o dinheiro no início do ano. Então, comece a pesquisar desde já os descontos que elas terão caso você faça o pagamento à vista. Às vezes, 5% a 10% já fazem uma boa diferença no somatório total. Imagine, então, se esse desconto alcança os 20%, como é o caso do IPTU em algumas cidades.

 

2. Avalie quais contas devem ser priorizadas

Se não for possível pagar à vista todas as contas de começo de ano, avalie quais delas são prioritárias e valem mais a pena pagar de uma vez só e quais podem ser parceladas.

Nos casos de aperto, o parcelamento não deve ser visto como um vilão. Mesmo assim, não se esqueça nunca de perguntar a si mesmo: “vou conseguir honrar com essas prestações?” já que, ao longo do ano, outras dívidas começam a aparecer e se acumular com as já existentes.

Então, avalie bem como fará o pagamento de cada conta e não se esqueça de pensar no futuro. O parcelamento jamais deve ser encarado como solução para um problema imediato.

 

3. Use o dinheiro do 13º salário para as contas de começo de ano

Se você não tem dívidas e nenhum destino urgente para o décimo terceiro, chegou o momento de usá-lo. Você que já evitou gastá-lo com presentes de Natal e viagens na virada do ano agora pode dar um bom destino ao dinheiro do benefício. Aproveite esse dinheiro que não faz parte do orçamento mensal para se livrar das dívidas logo que o ano começar. O seu bolso vai agradecer ao longo dos outros 11 meses seguintes, acredite.

 

4. Adie os gastos desnecessários

Não é só no fim de ano que há muitas tentações para quem é consumista ou não resiste a uma boa promoção. Em janeiro, chega a época das liquidações pós-Natal. Alguns descontos podem ser bem atraentes, mas procure pensar duas vezes antes de entrar na loja e comprar: você precisa mesmo daquela TV maior? Ou daquele celular novo?

Lembre-se que tudo que não é de extrema urgência pode — e deve! — ser adiado. Acostume-se a pensar que esta época do ano é de controle e economia e não o contrário.

 

5. Faça pesquisas de preços

Se mesmo com o controle alguns gastos são inevitáveis, deixe a preguiça de lado e saia para bater perna. Pesquise muito e compare os preços. Nunca deixe de pesquisar e, mesmo com bons descontos, converse com o gerente e procure melhorar ainda mais as condições de pagamento. Lembre-se que o país está em crise e as lojas estão precisando vender.