voltar para outros artigos

Dançar faz bem à saúde do corpo e da mente

Bem-estar & Saúde 1 de maio de 2016

Nas tradições do hinduísmo, a dança é utilizada há milhares de anos na busca de contatar o Divino. São Francisco cantava e dançava pelas ruas de Assis para construir uma ponte de religação com o Criador.

A dança acompanha a humanidade desde a pré-história, inicialmente cumpria uma função mágica e sagrada, aos poucos se tornou parte da identidade cultural dos povos, expressão artística e, generalizadamente, uma forma de interação social e lazer.

Nos anos trinta e quarenta, Fred Astaire e Ginger Rogers encantavam com habilidade, harmonia e charme plateias que assistiam a seus filmes em todo o mundo. Todas as épocas têm os seus musicais preferidos, nos quais a dança é elemento fundamental, Cantando na Chuva (1952), All That Jazz – O Show deve continuar (1979), Flashdance (1983) e duas versões de Fama (1980 e 2009) são alguns exemplos.

Recentemente, a dança foi revalorizada pela televisão na forma de reality shows e competições. Esse fenômeno é fomentado pela descoberta dos seus benefícos para a saúde do corpo e da mente.

Dançar ajuda a diminuir a tensão, relaxa a musculatura e diminui a ansiedade. Contribui para estimular a circulação do sangue e melhora a capacidade respiratória. Além de contribuir com o emagrecimento, pois é possível queimar até 700 calorias em uma sessão de dança.

O cerébro é também beneficiado porque há melhora na concentração, no  equilíbrio e também na memória. Pesquisa publicada pelo New England Journal of Medicine concluiu que dançar reduz em 76% os riscos de desenvolver doenças cognitivas, como o Alzheimer. A dança propicia oportunidade para as pessoas extravasarem os sentimentos represados e pode funcionar como uma terapia de combate à depressão.

No entanto, o benefício mais apreciado pelos casais é o clima romântico criado pela dança, que aproxima pessoas e fortalece relações!