voltar para outros artigos

Gente que gosta de gente!

Por Dentro da Sistel 9 de junho de 2017

A Sistel completa 40 anos e, dentre as atividades comemorativas, foi implantado o Programa Colaborador Atendente. Em 2017, Colaboradores de todas as áreas da instituição irão atuar por um dia no Atendimento Pessoal e, outro, na Central de Relacionamento, estabelecendo contato direto com Assistidos e Participantes.

O programa possibilita ao Colaborador ampliar a percepção da importância do trabalho que realiza diariamente para cumprir o objetivo de todos, atender sempre de forma humanizada aos públicos da Entidade. Trata-se de mais uma etapa do Novo Olhar, que no ano passado obteve importantes resultados ao internalizar a Central de Relacionamento, ou seja, todos os Atendentes são funcionários da Sistel e não mais terceirizados.

A receptividade entre os Colaboradores tem sido excelente. A Analista de Previdência, Ana Paula Mendes da Silva, logo que soube do programa incluiu o seu nome pois desejava “viver logo essa experiência”. Ela já trabalhou como atendente e relata: “na minha época era diferente, tínhamos scripts a seguir, meta de tempo, enfim, era bem impessoal. Então, eu tive curiosidade de saber como é atender nesse novo modelo, humanizado e com um olhar mais voltado às necessidades dos nossos Assistidos e Participantes”.

Ana Paula descreve: “foi incrível! Senti uma mistura de frio na barriga, curiosidade e vontade de falar com as pessoas. Na primeira ligação já fui surpreendida com o elogio de um Assistido, ele disse que gosta de ligar para a Sistel porque sempre é bem atendido e todos são cordiais e educados. Ao longo do dia fui conhecendo mais casos, ouvindo diferentes sotaques e anseios, isso foi muito rico para mim”.

Ao explicar como a participação contribuiu com o aperfeiçoamento de suas atividades diárias, disse: “às vezes, na área técnica, pensamos muito no bom andamento dos processos, mas quando estamos diante dos nossos Assistidos e Participantes percebemos que o mais importante é que esses processos sejam bons para eles também. Desse modo, passei a olhar com outros olhos as atividades que executo e, assim, verificar como posso ser melhor para o meu cliente (…). Outro ponto foi enxergar a necessidade de oferecer informações mais claras aos Atendentes, para que eles possam ter condições de atuar melhor a cada dia. Por fim, senti a mudança em mim, saí diferente de cada atendimento, sinto que sou mais compreensiva e mais empática hoje”.

O Analista de Previdência, André Luiz dos Reis, descreve como passou a entender o trabalho realizado pela Central de Atendimentos: “pude observar a maneira como os Atendentes se importam com cada um dos Participantes, Aposentados e Pensionistas (…). Observei, também, o quanto é importante para o nosso cliente essa forma mais humanizada de atendimento, a linguagem se torna simples e de fácil compreensão para um público cuja maioria já possui idade mais avançada”.

O Diretor de Planejamento e Controle, Walmir Almeida Rodrigues, destaca um dos atendimentos que mais o comoveu: “a irmã de uma Assistida compareceu ao Edifício General Alencastro (atendimento pessoal) solicitando esclarecimentos sobre a suspensão do plano de saúde”. (…) “Diante da constatação de que o pagamento por desconto no contracheque havia sido feito, mas não a quitação do boleto, a senhora caiu no choro, o que me comoveu extremamente. Orientei que efetuasse o pagamento e procurei acalmá-la explicando que o plano seria reativado assim que tivéssemos a confirmação da quitação e os trâmites junto ao prestador fossem cumpridos. Ela, mais calma, agradeceu e ressaltou a importância que a Sistel tem para a sua irmã”.

Elisângela Alves é Analista de Controles Internos, e resume em poucas palavras o que absorveu do Programa Colaborador Atendente: “Quando a gente não sabe se colocar no lugar do outro, a vida coloca a gente lá para aprender na prática! Para mim, isso aconteceu, saber na prática a necessidade do nosso colega de trabalho, saber na prática quais são as ansiedades e expectativas dos nossos Participantes e Assistidos e saber que podemos fazer mais e melhor. Cada um com suas habilidades mantendo a Sistel reconhecida como uma entidade que tem uma gestão eficiente”.

O Programa Colaborador Atendente irá prosseguir durante todo o ano, pois se traduz na clara expressão de um dos principais valores da Sistel: Gente que gosta de gente!




  1. Clovis Pardo disse:

    Sempre leio as matérias da SISTEL. São importantes e gosto muito.
    Brevemente vou enviar uma mensagem minha para ser publicada, se acharem interessante.

  2. Sérgio Vieira Tornel disse:

    Sempre leio as publicações da SISTEL. São muito interessantes e abordam assuntos importantes para nós todos.

    • Celeste Arrais disse:

      Olá Sérgio,

      Agradecemos o seu contato.

      Procuramos abordar assuntos que façam diferença na vida de nosso Assistidos e Participantes e nos colocamos à disposição para recebermos suas sugestões de matéria.

      Cordialmente,
      Celeste Arrais

  3. Flavio Rocha de Andrade disse:

    Ótimo esse programa,parece aproximar as pessoas, muito coloquial…

    • Celeste Arrais disse:

      Olá Flávio,

      Que bom que você tem esse sentimento de aproximação, porque é exatamente isso que queremos, estar cada dia mais perto de você, mesmo que distantes fisicamente, mas o sentimento de acolhimento esse, nós fazemos questão de que seja percebido por você e por cada um de nossos Assistidos e Participantes.

      Obrigada e ótimo dia!

      Celeste Arrais

  4. Eletra Thereza Silvestrini disse:

    gostaria de saber, como conseguir endereço de hospitais e médicos especializados, na região da av. paulista, São Paulo – SP. agradeço.

    • Celeste Arrais disse:

      Olá Eletra,

      Agradecemos o seu contato com a Sistel.

      Seu questionamento será respondido por e-mail.

      Este espaço se destina aos comentários gerais sobre a matéria, questões pessoais e individuais devem ser realizadas por meio de nossos canais de relacionamento.

      Cordialmente,
      Celeste Arrais

  5. JOSÉ CARLOS BRUNO disse:

    Não consegui entrar nos dados do contador de história, para contar uma história que aconteceu recentemente comigo, uma história real , onde me colocou em duvida sobre a existência do destino.
    “Num sábado do mês de junho 2017, saímos como de costume aos sábados e domingo,para almoçar fora, pois é dia de descanso da cozinha, era por volta das 12:00 horas, quando abrir o portão eletrônico, tirei o carro e aguardei minha esposa, aproveitamos e após o almoço passamos no Mercado, por volta das 14:00 horas retornamos para casa, meu horário tradicional de tirar uma soneca de 1 a 2 horas, Porém neste dia resolvi ir até a área de lazer, pois vamos receber uns amigos para almoçar em casa no domingo, e fui verificar se o fogão a lenha esta em ordem, para meu espanto escuto um barulho de algo se debatendo debaixo da capa da piscina e pelo barulho e volume não era algo pequeno, mesmo com receio do que estava debaixo da capa, fui puxar a capa para fora da piscina e para minha surpresa tinha um cachorro de porte médio da raça Dalmata ,que deve ter entrado na hora que abri o portão eletrônico, tentei chamar ele para a borda da piscina para poder tirar, mas não obedecia ou por medo ou por estar exausto, fazia bem frio este dia, não pensei duas vezes, tirei o tenis e a carteira e entrei dentro da piscina, nova duvida surgiu.. será que ele não vai me morder, mas só tinha uma alternativa tirar ele dela para não morrer, quando coloquei ele na borda da piscina e sai da piscina , um fato novo ocorreu, os dois tremia mais que varra verde, eu fui tomar um banho bem quente e esperar um belo resfriado o que não ocorreu e ele minha mulher se encarregou de secar e alimentar e tentar localizar o dono, o que conseguimos após as 19:00 horas.
    Pergunto? não tinha necessidade de ir na área de lazer no sábado, no domingo ele estaria morto e com a capa , não tinha como ver ele no fundo da piscina.
    “SERÁ QUE FOI O DESTINO, QUE ME LEVOU ATÉ ELE NO SÁBADO”.

    • JOSÉ CARLOS BRUNO disse:

      Esta foi minha história de um sábado frio em Rio Claro,

      • Jaqueline disse:

        Olá José Carlos, bom-dia!

        A sua história será repassada a nossa equipe responsável pelo Contador de Histórias.

        Agradecemos pelo seu contato e estamos na torcida para que seu texto seja publicado logo.

        Um abraço, Jaqueline Lima.

Cancelar Resposta