voltar para outros artigos

Novembro Azul, saúde integral do homem

Bem-estar & Saúde 14 de novembro de 2017

O movimento Novembro Azul surgiu na Austrália, em 2003, com a denominação de Movember. O objetivo era o de angariar fundos para promover a conscientização dos homens quanto à necessidade de agir preventivamente para evitar ou tratar precocemente as doenças que afetam mais a população masculina.

As dez doenças que mais afetam os homens no Brasil:

  • Doenças cardiovasculares: são responsáveis por mais de 30% das mortes registradas no país, essas doenças afetam os homens mais do que as mulheres. De acordo com cardiologistas renomados de planos de saúde, as principais doenças cardiovasculares são infarto, acidente vascular cerebral, arritmias cardíacas e acúmulo de placas de gorduras nas artérias.
  • Hipertrofia prostática: um homem com mais de 50 anos de idade pode ter um aumento da próstata e o nome que se dá para esse problema é hipertrofia prostática. O sintoma mais comum é a ida ao banheiro várias vezes durante a noite. Outros sintomas são: a interrupção da urina e a dificuldade para urinar.
  • Obesidade: a obesidade entre os homens cresce a cada ano, é responsável por muitas patologias que podem levar à morte, como as doenças do coração, gota, apneia do sono, entre outras. A falta de exercícios físicos e a má alimentação, ao longo do tempo, podem levar a esse estado e prejudicar a vida dos homens.
  • Andropausa ou declínio hormonal: os primeiros sintomas desses estados aparecerem quando o homem chega aos 40 anos, porque a produção de hormônio começa a cair naturalmente. O problema leva à fadiga, disfunção erétil, perda do desejo sexual e depressão.
  • Tabagismo: o tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável no mundo. Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população masculina mundial fumam. No Brasil, segundo a Pesquisa Vigitel, dos 17,9% fumantes, 5,6% fumam 20 cigarros ou mais por dia.
  • Pneumonia: o homem tem maior probabilidade de morrer por causa da pneumonia, mas não por questões relacionadas com a biologia. “Efetivamente, a mortalidade por pneumonia intra-hospitalar é maior nos homens. Mas isso deve-se a um conjunto de comportamentos de risco e de hábitos de vida que são, regra geral, mais frequentes nos homens”, confirma Nadine Monteiro.
  • Cirrose e problemas no fígado: afetam os homens mais do que as mulheres, segundo dados divulgados pela Organização Mundial da saúde (OMS). A esteatose e as hepatites são relevantes causas de morte da população masculina brasileira. Essas doenças estão diretamente relacionadas ao estilo de vida masculino, que compreende a não alimentação de maneira correta, além de grande ingestão de bebidas alcoólicas.
  • Câncer de próstata: essa é uma das enfermidades que mais atinge os homens no Brasil. O câncer de próstata é visto como uma doença congênita (genética), mas os maus hábitos também podem fazer com que ela apareça.
  • Incontinência urinária: problema comum em idosos, mas também pode acontecer com homens que fizeram cirurgias para retirada de um câncer. O ideal é prevenir e isso só é possível fazendo uma consulta anual depois dos 45 anos.

(Fonte: https://www.saudedica.com.br/as-10-doencas-que-mais-afetam-os-homens/ com edições)

No Brasil, entidades como a Sociedade Brasileira de Urologia e o Instituto Lado a Lado pela Vida promovem a Campanha Novembro Azul para estimular o hábito dos homens irem ao médico em todas as fases da vida e adotarem hábitos saudáveis.

A partir dos 40 anos é indispensável a realização do chek-up anual sob a orientação de um clínico geral e envolvendo as seguintes especialidades: urologia, cardiologia, otorrinolaringologia, oftalmologia, dermatologia e ortopedia, entre outras.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) faz os seguintes alertas:

  • Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.
  • A idade é um fator de risco importante para o câncer de próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos. Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de se ter a doença de 3 a 10 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

A Sistel participa do Novembro Azul com um trabalho de sensibilização junto aos assistidos e participantes, além de disponibilizar ao longo do ano os Programas de Saúde e o Pacote Preventivo para o bem-estar de todos.




  1. Antonio mauricio Santos disse:

    Foi a primeira vez que eu tive oportunidade de ler a revista: tirei um bom aproveito porque falou sobre as doenças que mais afeta população masculina.