voltar para outros artigos

Pagar menos e ajudar a natureza

Minhas Finanças 15 de agosto de 2017

A produção de novos produtos tem um forte impacto negativo na natureza, pois é preciso retirar imensas quantidades de matérias-primas para transformá-las. Todas as fases da cadeia produtiva deixam alguma consequência para o planeta. Por isso, adquirir produtos de segunda mão, além de ser uma medida de economia, é uma atitude que ajuda a sustentabilidade da Terra.

Muitas pessoas já estão procurando novos caminhos de consumo consciente, o que tem revitalizado os brechós. O que era uma alternativa considerada ultrapassada ou restrita às pessoas de baixo poder aquisitivo, agora virou moda. Essas lojas oferecem, principalmente, roupas e móveis usados, porém estão ficando cada vez mais diversificadas e disponibilizam seções especializadas para venda de brinquedos, acessórios e até antiguidades.

Geralmente, os produtos estão em boas condições podendo ser inclusive novos, mas que foram descartados por desinteressar a alguém. Tudo é vendido por preços bastante atrativos.

Outra opção que vem se espalhando pelo comércio, são as lojas outlet. Normalmente, estão reunidas em shoppings e servem para que os fabricantes vendam diretamente para o público consumidor. Nesse modelo, as grifes disponibilizam peças de coleções passadas, as chamadas pontas de estoque. Trata-se de produtos novos e de ótima procedência oferecidos a preços muito acessíveis.

Os saldões realizados periodicamente pelas lojas, quando uma coleção está terminando, quando novas linhas de produtos estão para chegar ou na renovação de mostruário, devem ser aproveitados para fazer render o dinheiro.

Outra onda irresistível de consumo de menor preço e que ajuda na sustentabilidade são as dos sites de produtos usados. Neles é possível encontrar todo tipo de produto de segunda mão, de livros a automóveis. Como fazem parte da chamada economia colaborativa, além de comprar, você também pode vender tudo aquilo de que não precisa mais, sem muito esforço e sem sair de casa. Alguns exemplos desses portais são o mercadolivre.com.br, o www.olx.com.br  e o www.estantevirtual.com.br .

Com o desenvolvimento desse novo mercado houve o amadurecimento da legislação que ampara o comprador, produto usado não é produto com defeito. O portal do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon tem informações muito úteis para você conhecer alguns dos seus direitos, clique aqui para acessá-lo.

Antes comprar um produto novo procure um usado, da coleção passada ou de modelo mais antigo, o seu bolso e a natureza agradecem.