voltar para outros artigos

Ser voluntário melhora a qualidade de vida

Bem-estar & Saúde 4 de julho de 2017

Um estudo coordenado pela Escola de Medicina da Universidade Exeter¹, no Reino Unido, identificou um grupo de pessoas que vive 20% mais, apresenta saúde mental melhor, menor índice de depressão, resiste melhor aos efeitos do estresse e passa por menos internações hospitalares do que a média geral da população. Trata-se das pessoas que exercem alguma atividade voluntária.

No Brasil, estima-se que pelo menos 16,4 milhões² de pessoas realizam algum tipo de atividade voluntária de forma regular e pelo menos o triplo já atuou voluntariamente em algum momento da vida.

Vania Boldrini Pereira, Analista de Previdência da Sistel, começou a integrar esse time solidário atuando na Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe em Brasília, onde ministra aulas de catequese para crianças de três a sete anos. Recentemente, estendeu suas atividades e passou a atuar no apoio às cozinheiras da Casa de Apoio da Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadora de Câncer e Hemopatias – ABRACE.

SONY DSC

Vânia Boldrini

Vania é também contadora de histórias no Hospital da Criança de Brasília José de Alencar. Tudo começou quando, em 2002, a filha de uma amiga foi diagnosticada com leucemia. A criança, “apesar de todo sofrimento, tinha uma alegria contagiante e foi curada, graças a Deus!”

O episódio reforçou o desejo de contribuir com o bem-estar da infância, recorda: “fui atrás para saber como ajudar e descobri a ABARACE, que oferece assistência social para crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas, com dificuldades socioeconômicas, promovendo qualidade de vida e colaborando para a promoção de condições ideais de tratamento e resgate da saúde do paciente”. Após realizar cursos de preparação para o voluntariado, Vania optou por ser contadora de histórias: “queria levar alegria para as crianças”.

Dentre as histórias que mais a comoveram até hoje, está a de Bruno, um menino de dez anos, que conforme descreve: “ama ler, ouvir histórias e tem muitos sonhos, nas vezes que o encontrei na UTI sempre quis ouvir várias e diversificadas. Mesmo diante da dor, ele diz que as histórias o fazem viajar”.

Ao ver as crianças preservarem a alegria e a esperança de conquistarem seus sonhos, mesmo diante de grandes dificuldades e de uma expectativa incerta de futuro, Vania explica que tem tido um grande aprendizado além do fortalecimento de sua fé.

“Esse trabalho tem me dado a oportunidade ser melhor como ser humano. Por eu ser uma pessoa ansiosa, algumas situações me causavam sofrimento, e estou tendo a oportunidade de lidar com essas adversidades com um olhar diferente. Até no comportamento com familiares, amigos e pessoas do dia a dia vejo que tenho melhorado”.

Abraçar o voluntariado precisa ser uma decisão muito consciente, porque é um compromisso que precisa ser “cumprido e honrado”, mas, para ela, é principalmente uma oportunidade de “aprender, evoluir, compartilhar e de se transformar em alguém ainda melhor”.

¹ https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/ser-voluntario-faz-bem-para-saude-9664868

² https://www.ivoluntarios.org.br/pages/2613-itau-social-realiza-pesquisa-sobre-voluntariado-no-brasil




  1. Antonio Roberto Sinott Lopes disse:

    Massa! Muito bonito.

    • Celeste Arrais disse:

      Olá Antônio,

      Obrigada por seu contato.

      O trabalho voluntário é um desprender-se de si mesmo em favor do próximo que necessita. Muito lindo.

      Abraços,
      Celeste Arrais

  2. Alfredo Luiz Pagani disse:

    O trabalho voluntário é uma evolução espiritual.

    • Jaqueline disse:

      Olá Alfredo, muito obrigada pelo comentário.

      O trabalho voluntário é uma evolução e nos faz crescer como pessoa.

      Um abraço,
      Jaqueline Lima

  3. Vania Boldrini disse:

    Estou feliz em partilhar com as pessoas uma experiência magnífica, que é ser voluntária!
    Agradeço a Fundação Sistel pela oportunidade!

    • Celeste Arrais disse:

      Olá Vânia,

      Nós que agradecemos a sua participação e, acima de tudo, a dedicação do seu precioso tempo a outras pessoas.

      Abraços,
      Celeste Arrais

  4. Delma disse:

    Parabéns, esse trabalho é muito importante e faz a diferença na vida dessas crianças!!

    • Celeste Arrais disse:

      Olá Delma,

      Agradecemos o seu contato e concordamos que podemos fazer a diferença na vida das pessoas, para isso, basta se dispor.

      Abraços,
      Celeste Arrais

  5. Marcos Guimarães Castello Branco disse:

    A Sistel poderia intermediar sugerindo trabalhos voluntários que possam ser exercidos por seus assistidos em suas cidades de residência.