voltar para outros artigos

Viagem para os EUA com o dólar alto é possível sim

Embarque Nessa 2 de outubro de 2015

O dólar não está de brincadeira, mas mesmo assim muitos brasileiros ainda estão viajando para os EUA para fazer compras, se divertir nos parques de Orlando, jogar nos cassinos de Las Vegas, curtir as praias da Califórnia ou conhecer as cidades mais emblemáticas como Nova York e Los Angeles. Passagens em promoção é o que não falta, as empresas de viagem não querem perder o volume usual de vendas, por isso basta ficar de olho para encontrar um bom preço. Mas se você já comprou sua passagem, deve estar pensando se é possível ir, se divertir e não voltar no vermelho. E a resposta é sim, basta ter paciência e saber procurar. Para te ajudar nessa busca, desde a compra do dólar até a escolha da hospedagem e dos passeios, veja algumas dicas que a Sistel preparou para você.

Utilize papel moeda

Em tempos de variação alta da moeda, a forma mais econômica de levar dinheiro é em espécie, que tem um IOF de 0.38%, bem menor que o do cartão pré-pago que sofre 6.38%, assim como o de crédito. O cartão de crédito deve ser visto como última opção. O cartão pré-pago é melhor que o de crédito, pois nele você pode fazer uma busca e escolher uma casa de câmbio que te interessa, já no de crédito, se o dólar subir mais entre a compra e o fechamento da fatura você paga a diferença.

Para achar uma casa de câmbio mais econômica, vale fazer uma boa pesquisa. A página do Banco Central pode ajudar nessa hora. Existe um lugar no site chamado Ranking do Valor Efetivo Total, que mostra o ranking das corretoras nas últimas semanas, descubra a mais vantajosa para você.

A internet é sua aliada

Usar sites de economia compartilhada, como o Airbnb para hospedagem e o Uber para transporte, funcionam muito bem e são opções mais econômicas. Para quem não quer gastar nada, tem o Couchsurfing, onde você se hospeda na casa de um morador local. Uma opção exclusiva para membros do Clube Sistel, são os descontos, facilidades e condições especiais da Bancobrás, uma das empresas parceiras do clube. Veja as ofertas aqui.

Transporte

Dependendo da cidade, alugar um carro pode não ser a melhor opção, mas também nem sempre comprar aquele bilhete de múltiplas viagens de metrô vai te fazer economizar, por isso, pegue um papel e coloque as contas na ponta do lápis para ver o que vale mais a pena. Lembrando sempre que, caminhar é uma opção saudável e permite que você conheça ainda mais de perto a cidade.

Alimentação

Para economizar na comida, vale a pena comprar produtos em supermercados e cozinhar onde está hospedado. Para quem fica em hostel ou aluga apartamento, é a melhor opção. Dependendo da cidade em que estiver, fazer um piquenique em praças e parques também ajuda na economia, além de ser bem divertido. E para evitar gastos desnecessários quando for ao restaurante, preste atenção ao cardápio e confira o preço antes de fechar o pedido.

Passeios

Pesquise em sites locais por dicas atualizadas, guias com programações, páginas que oferecem descontos, tudo que possa ajudar na hora de planejar os passeios. Quase sempre é possível encontrar opções divertidas, pagando muito pouco, ou até mesmo sem gastar nenhum tostão.

Por meio de cupons, você consegue descontos e benefícios ótimos que vão baratear sua viagem. É possível consegui-los em sites de lojas, hotéis e nos próprios locais das atrações, mas para adiantar, você pode fazer uma busca na Internet pelo nome da cidade para onde irá, seguido da palavra “cupons” e já levar alguns impressos.

Muitas cidades ao redor do mundo, e nos EUA oferecem tours gratuitos. Procure por eles no destino para onde vai. Por meio do site Free Tours By Foot é possível ver roteiros legais e gratuitos em diversos outros destinos dos EUA, como Washington, Nova Orleans, Chicago, Nova York e Boston. Para visitar os museus, fique de olho nos dias e horários de acesso livre que costumam ter em várias cidades.

Por fim, se a ordem é economizar, procure colocar na balança os passeios. Você quer mesmo conhecer aquela atração que todo mundo fala, mas que custa metade do seu orçamento diário? Substitua e descubra lugares um pouco menos turísticos, mas que te proporcionam uma experiência tão legal quanto, ou até mais, e boa viagem.